Notícias

‘Não quero que o servidor e o aposentado fiquem sem pagamento’, diz Zema ao defender reforma 

Por Redação , 15/07/2020 às 10:46
atualizado em: 15/07/2020 às 14:33

Texto:

Foto: Pedro Gontijo/Agência Minas
Pedro  Gontijo/Agência Minas

RESUMO

  • Governador disse que os servidores podem ficar sem pagamento, em caso de não aprovação da reforma da Previdência do estado
  • Zema lembrou ainda que o setor privado e os militares passaram por reformas recentemente
  • A reforma da Previdência do estado está em debate na Assembleia Legislativa de Minas Gerais


O governador Romeu Zema (Novo) disse nesta quarta-feira que os servidores estaduais de Minas Gerais podem ficar sem pagamento, em caso de não aprovação da reforma da Previdência do estado. 

“A Reforma da Previdência vai refletir no futuro. Ninguém terá o seu direito adquirido cessado. A situação financeira de Minas não é segredo para ninguém. Há 5 anos o salário está parcelado. As despesas sobem de elevador, e a receita de escada”, em entrevista à rádio Super que teve trechos postados no perfil do twitter do governador.

“O que estava ruim, vai ficar pior. O 13º dos últimos anos foram pagos de forma parcelada. Essa medida quer priorizar o futuro do servidor. Queremos garantir os salários. Não quero que o servidor e o aposentado fiquem sem pagamento”, disse Zema.

O governador lembrou ainda que o setor privado e os militares passaram por reformas recentemente.“Não estamos fazendo nada inédito. Mais de 20 estados já passaram pela reforma. A expectativa de vida aumentou. Vivemos 20 anos a mais que os nossos avós.” 

A reforma da Previdência do estado está em debate na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). As discussões, iniciadas nessa segunda-feira (14), se estenderão até a quinta-feira (16), quando as sugestões dos sindicatos e dos servidores para aprimorar a proposta serão entregues ao Executivo.

Nessa segunda-feira (14), o deputado estadual Sargento Rodrigues (PTB-MG) disse que o prazo para realização da Reforma da previdência nos estados e nos municípios será adiado do dia 31 de julho para o dia 31 de dezembro.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link