Unimed Set Maxiboard interno

Notícias

Um mês após queda no Mundial, Vadão é demitido do comando da seleção feminina

Por Agência Estado, 22/07/2019 às 18:34
atualizado em: 22/07/2019 às 18:37

Texto:

Foto: Assessoria / CBF
Assessoria / CBF

Um mês depois de a seleção brasileira feminina de futebol ter sido eliminada pela França nas oitavas de final do Mundial, o técnico Vadão foi demitido nesta segunda-feira do comando da equipe nacional. O treinador vivia a sua segunda passagem pelo cargo, que ele reassumiu em 2017, e agora teve o seu novo ciclo encerrado pela CBF. 

Procurado pela reportagem do Estado, ele confirmou nesta tarde que não ocupa mais o posto. "Procede a informação da minha saída, só que hoje eu não vou falar com a imprensa. Ainda tenho de voltar para a CBF amanhã. Estou aqui no Rio ainda para finalizar alguns detalhes (de sua demissão), mas a minha saída é certa sim", revelou o comandante, por meio de uma mensagem de WhatsApp.

E pouco depois da confirmação por parte do treinador, a CBF divulgou nota em seu site para oficializar a demissão. "Após um ano e dez meses, em sua segunda passagem pela CBF, o técnico Oswaldo Alvarez, Vadão, deixa o comando da seleção brasileira feminina", informou a entidade, que depois lembrou da trajetória do técnico à frente da equipe nacional, inicialmente comandada por ele em um período entre 2014 e 2016. Ele saiu do posto após a Olimpíada do Rio, mas o reassumiu em setembro de 2017. 

"Vadão dirigiu a seleção nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, ficando em quarto lugar, e em duas edições de Copas do Mundo, no Canadá em 2015 e na França em 2019. Conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015, além de duas Copas Américas, em 2014 e 2018, sendo que esta última garantiu a vaga no Mundial da França e nas Olimpíadas de Tóquio-2020", completou a CBF. 

Por fim, a nota destacou que a entidade "está trabalhando para a definição do próximo nome a dirigir a seleção feminina principal no prazo mais curto possível". "Agradecemos ao treinador Vadão pelo trabalho e dedicação, reiterando por ele nosso respeito pessoal e profissional", encerrou.

Somando as suas duas passagens pela seleção feminina, o treinador comandou a equipe nacional em 56 jogos, nos quais acumulou 35 vitórias, cinco empates e 16 derrotas. E nove destas derrotas ocorreram em uma incrível sequência negativa que marcou o período de preparação do Brasil para o Mundial, no qual o time de Vadão encerrou a péssima fase ao superar a Jamaica por 3 a 0 na estreia da competição realizada na França.

Depois disso, a equipe de Marta foi derrotada por 3 a 2 pela Austrália e em seguida superou a Itália por 1 a 0 para avançar às oitavas de final, fase em que foi eliminada seleção francesa ao ser batida por 2 a 1, em resultado definido apenas na prorrogação, no último dia 23 de junho, em Le Havre.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link