Auto Truck CPM Interno

Notícias

Igor Rabello critica falta de ‘pegada’ na marcação, mas acredita na virada: ‘Não tem nada resolvido’

Por Fábio Rocha, 11/07/2019 às 22:44
atualizado em: 11/07/2019 às 23:25

Texto:

Foto: Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

As falhas na defesa e a ineficiência do ataque foram decisivas para o Atlético perder por 3 a 0 para o Cruzeiro, nesta quinta-feira, no Mineirão, e se complicar no confronto das quartas de final da Copa do Brasil. O zagueiro Igor Rabello admitiu que o time foi muito abaixo do que se esperava.

“Não tem nada resolvido ainda não. Sabemos que somos fortes no Independência. O jogo foi um pouco complicado, acho que a gente não teve uma pegada mais forte na marcação, não conseguimos acertar na finalização. Infelizmente, em três lances eles conseguiram fazer os gols”, afirmou.

“Acho que se a gente tivesse saído mais, pegando mais, eles não teriam a facilidade de jogar, de tocar a bola. Temos que conversar e acertar para sair com a vitória no próximo jogo”, completou o defensor.

Ao mesmo tempo em que criticou a postura do time em campo, Igor Rabello demonstrou otimismo quanto à reversão do placar adverso no duelo de volta, quarta-feira da próxima semana, às 19h15, no Independência. Antes, o Atlético terá que pensar na Chapecoense, domingo, às 19h, na Arena Condá, pelo Campeonato Brasileiro. Para a partida em Chapecó, o técnico Rodrigo Santana já antecipou que utilizará uma equipe alternativa pensando no segundo clássico.

“Agora é descansar, pensar no Brasileiro contra a Chapecoense, e depois voltar ligado para a Copa do Brasil porque temos total condição de reverter esse placar”, disse Igor Rabello.

Com o resultado, o Cruzeiro poderá perder por até dois gols de diferença no clássico da próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência, para avançar às semifinais da Copa do Brasil. Para se classificar, o Atlético terá que ganhar por quatro de vantagem. Triunfo alvinegro por três de diferença leva a decisão da vaga para os pênaltis.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link