Auto Truck CPM Interno

Notícias

Grupo de sócios e conselheiros recorre de decisão da Justiça que negou afastamento de Itair

Por Redação, 10/07/2019 às 15:04
atualizado em: 10/07/2019 às 19:07

Texto:

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Um grupo de sócios e conselheiros do Cruzeiro recorreu nessa terça-feira (9) da decisão judicial que negou o afastamento do vice-presidente de futebol do clube, Itair Machado. O resultado da ação inicial foi dada na quarta passada (3) pela juíza Lílian Bastos de Paula, da 22ª Vara Cível de Belo Horizonte.

Para indeferir o pedido, a juíza justificou que o Poder Judiciário não pode interferir em questões que devem ser resolvidas dentro do clube, além de não poder ignorar o estatuto do Cruzeiro. Assim, deveria se fazer uma assembleia geral, conforme diz o estatuto, para destituir algum dirigente. “Espontaneamente, compareceu o 2º réu (Cruzeiro) aos autos e se manifestou invocando ausência de interesse de agir dos autores, tendo em vista a natureza associativa do Clube, regida por um estatuto social com caráter contratual e ao qual devem se submeter todos os associados e conselheiros, de forma que a destituição de seus administradores deve passar, obrigatoriamente, pela Assembleia Geral da unidade, na forma do art. 6º, do Estatuto, e do art. 59, do Código Civil.”

Contudo, no recurso, os conselheiros e sócios justificam a intervenção da Justiça pela 'inércia do Conselho Deliberativo do Clube em afastar o dirigente'. “Pois se observa, há incontroversa irregularidade na nomeação e na manutenção do Réu Itair como dirigente do Cruzeiro Esporte Clube, assim como há uma descabida inércia do Conselho Deliberativo do Clube em afastar o dirigente, uma vez que a Lei estatuto falam em AFASTAMENTO IMEDIATO!”

O grupo de conselheiros argumenta ainda que Itair ocupa o cargo de vice-presidente de futebol por indicação e não foi eleito para tal. Assim, ele pode ser afastado da função caso a presidência do clube queira.

“Vejam que basta ser associado do clube para ocupar o cargo de Vice-Presidente de Futebol. Os cargos descritos no §1° do artigo 30 não exigem a realização de eleição para sua ocupação e são preenchidos por associados do clube, pois são de livre nomeação e exoneração, conforme critério da presidência do Clube”, diz um trecho do documento. “Ora, a distinção dos cargos eletivos é mais do que evidente. Não faz sentido citar destituição (art. 6° do Estatuto) prevista para cargos eletivos ao abordar o afastamento de cargo de livre nomeação.”, complementa.

No mesmo recurso, os conselheiros e sócios também dizem que a ação é para pedir o afastamento de Itair enquanto acontecem as investigações, e não a saída em definitivo (destituição) conforme citada pela juíza. “Também equivocou-se a MM. Julgadora ao abordar a destituição do Vice-Presidente de Futebol, sendo que o pedido foi de afastamento.”

No pedido inicial de afastamento, o grupo afirmou que a nomeação de Itair para o cargo de vice-presidente fere os artigos 30 do Estatuto do clube e 23 da Lei Pelé porque contra ele há condenações trabalhistas, previdenciárias e criminais. Além disso, diz o documento, há fortes indícios de gestão temerária/fraudulenta junto ao Cruzeiro.

A atual diretoria do Cruzeiro é alvo de uma investigação da Polícia Civil de Minas Gerais e do Ministério Público por crimes como falsificação de documentos e apropriação indébita. Na última terça-feira (9), a polícia apreendeu documentos, celulares e computadores ao cumprir 16 mandados de busca e apreensão nas sedes do clube e da torcida organizada Máfia Azul e em imóveis de Itair, do presidente celeste, Wagner Pires de Sá, do diretor-geral, Sérgio Nonato.

Uma reunião extraordinária foi marcada pelo presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, para o dia 5 de agosto para definir o futuro do mandatário Wagner Pires de Sá e dos outros membros da direção.

Para justificar o agendamento da reunião somente para o próximo mês, Perrella citou os compromissos decisivos que a equipe terá em julho – clássicos contra o Atlético, pelas quartas de final da Copa do Brasil, e os duelo diante do River Plate, pelas oitavas da Libertadores.

Além disso, na visão do presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, até lá, a comissão de sindicância terá tempo para concluir os trabalhos de investigação de supostas irregularidades no clube e os membros do Conselho Fiscal já estarão eleitos.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link