Notícias

Caso envolvendo mensagens é absolutamente diferente de áudios de Dilma, diz Moro

Por Agência Estado, 19/06/2019 às 14:26
atualizado em: 19/06/2019 às 14:28

Texto:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afastou a relação das mensagens supostamente trocadas com procuradores da Lava Jato com a divulgação de conversas autorizada por ele entre a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2016. Para Moro, as duas situações são "absolutamente diferentes". 

No episódio envolvendo os áudios dos ex-presidentes, afirmou, havia uma interceptação autorizada legalmente. "Pode-se até discutir a decisão, mas havia uma decisão legal de publicidade", declarou, afirmando também que haviam provas nos autos e que "nada ali foi liberado a conta-gotas e que daquele material poderia ser verificada a autenticidade a qualquer momento".

No caso relevado pelo site The Intercept Brasil, declarou Moro, há ataque de um grupo organizado contra o combate à corrupção. "O material está sendo disponibilizado de maneira opaca e sem previsibilidade de verificação da autenticidade, algo completamente diferente."

Pacote anticrime

Durante audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado para explicar as supostas mensagens trocadas com procuradores da Lava Jato, Sergio Moro defendeu o pacote anticrime encaminhado por ele ao Congresso. "Espero que toda essa confusão não impacte em relação a esse projeto", disse Moro ao defender o conjunto de propostas elaboradas por ele. 

O ministro afirmou que os parlamentares podem alterar os projetos em discussão na Câmara e no Senado. 

Abuso

Senadores usaram seu tempo de fala para defender a provação de um projeto de lei que pune o abuso de autoridade praticado por magistrados e membros do Ministério Público e criminaliza o caixa 2. A proposta deverá ser votada na CCJ e no plenário no próximo dia 26.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link